É (quase) impossível pedir o Cartão Lisboa VIVA pela Internet

Com a criação do passe Único da Área Metropolita de Lisboa, resolvi pedir o cartão Lisboa VIVA, via Internet no Portal VIVA, para testar o processo. Este cartão é o suporte essencial para carregar os novos passes (de até 40€).

Em síntese: é algo possível, mas é tão complexo que na prática, se torna uma tarefa impossível.

Problema 1 – Utilização applet de Java

A primeira dificuldade que encontrei foi o facto do portal VIVA apenas aceitar o uso de applet Java para ler os dados do Cartão do Cidadão. Esta forma de aceder ao cartão de cidadão está completamente ultrapassada, uma vez  que não existe atualmente nenhum browser moderno que suporte Java. Daí que a única solução possível passsa por recorrer ao velhinho Internet Explorer (em Windows, naturalmente).

Pior de tudo: essa indicação não é dada de forma explícita. Foi algo que descobrir por mim, após o portal ter ficado “bloqueado” no ecrã seguinte durante algum tempo e ter reparado numa pequena mensagem de erro em baixo que indicada que o browser que estava a usar (o Chrome) não era compátível.

Quando não se usa Internet Explorer, o sistema fica bloqueado neste ecrã

Problema 2 – Erro “INVALID_PHONE_NUMBER”

Depois de usar o Internet Explorer e de conseguir “contornar” algumas dificuldades com o uso do Java, avancei até obter o erro “C#10 : Invalid_Phone_Number”. Tive que pedir ajuda ao suporte do Portal. Responderam-me que não podia preencher o mesmo número no campos “Telefone” e “Telemóvel na área de dados pessoais (?!).

Erro com número de telefone. Aparentemente não é possível colocar o mesmo número nos campos “telefone” e telemóvel.

 

Problema 3 – “Nome do Cartão é demasiado curto”

Seguidamente apareceu-me uma nova mensagem de erro a indicar que o nome que eu tinha escolhido para o cartão era demasiado curto. Foi algo que me deixou confuso porque tinha até 3 nomes. Experimentei reduzir e funcionou. Ou seja, a mensagem de erro está ao contrário: o nome escolhido era demasiado longo,  exatamente ao contrário!

Nova mensagem de erro a indicar que o nome escolhido para colocar no cartão era demasiado curto, quando na realidade era demasiado longo.

Moral da História

Embora tenha conseguido efetuar o pedido do cartão LisboaVIVA, fiquei muito mal impressionado com a qualidade do Portal Viva. O Portal não só usa tecnologia obsoleta (Java), como as mensagens de erro indiciam fraca qualidade na programação e validação do software.

Por outro lado, o processo não está pensado na ótica do cidadão, não é simples nem fácil de usar. Por outras palavras, um cidadão sem conhecimentos informáticos avançados dificilmente conseguirá pedir o Cartão.

Numa altura em que foi anunciado uma transformação profunda na forma de funcionamento e quantidade de passes de transportes (dos cerca de 770 passes em funcionamento hoje em dia passarão a existir cerca de 70), temo que a transição seja, no mínimo, caótica.

, ,

  1. Edu 22 Março, 2019 at 14:13 #

    Pois, eu também acho que isto não vai correr muito bem…
    Parece que o prazo foi imposto sem se ter bem a noção da implementação do novo sistema. E a modalidade do passe-família já foi adiada para o Verão! Enfim, a ver vamos…
    Outra coisa que acho que não vai correr bem é a procura de transportes públicos aumentar consideravelmente e a oferta manter-se. Vai haver muito mais gente a andar de transportes públicos e o número de autocarros, metros e comboios vai manter-se, com os mesmos horários. Neste momento já não é suficiente (como por exemplo o metro e o comboio que estão a abarrotar). Quando começar a vir mais gente, nem sei! Mas esse é outro problema. Uma coisa de cada vez.

    Eu já tenho o meu cartão há alguns anos e o último que pedi também foi online. À parte a barbaridade do IE com Java, não me lembro de outras dificuldades. Alíás, é uma coisa com que me deparo quase todos os meses, quando carrego o passe em casa com leitor de cartões. Mas concordo que o portal não é para leigos em informática!

    • Ricardo Moreira de Carvalho 22 Março, 2019 at 22:02 #

      Olá Edu,

      Obrigado pelo comentário 🙂

      Sim, este artigo foi focado apenas na falta de qualidade do portal VIVA.

      Outro tema é a opção política da redução do preço. Embora não descorde com a medida, julgo que o investimento deveria ser no reforço da oferta, na melhoria das infrastruturas e eventualmente na simplificação do sistema de bilhética (os suportes Lisboa Viva e Viva Viagem são pouco práticos.). Mas isso levaria vários anos e não teria um efeito imediato na opinião pública…

Deixe uma resposta

Escreva apenas comentários relacionados com este artigo.
Isto ajudará a manter os artigos organizados. Obrigado!

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.