Evolução das velocidades de acesso a redes móveis

Previsão da evolução das velocidades de ligação de rede (em Kbps) por região e país

Previsão da evolução das velocidades de ligação de rede (em Kbps) por
região e país

As velocidades de acesso às redes móveis irá sofrer uma evolução considerável nos próximos anos.

A velocidade média de ligação a redes móveis era de 315 Kbps em 2011 e irá apresentar um crescimento anual de 56 por cento (figura acima).

Em 2016, ultrapassará os 2.9 Mbps. As regiões que apresentarão as maiores velocidades serão a Europa Ocidental e América do Norte, apesar das maiores taxas de crescimento se verificarem em África e no Médio Oriente.

O CAGR – Compound Annual Growth Rate (Corresponde à taxa de crescimento anual obtida durante um determinado período de tempo) está estimado em 97%.

As velocidades dos Smartphones (geralmente de terceira geração e superior), são atualmente mais de quatro vezes superiores às da média global e prevê-se que quadrupliquem até 2016, atingindo um valor superior a 5.2 Mbps.

Há indícios esporádicos que suportam a ideia de que o uso dos equipamentos aumenta quando aumentam as velocidades de ligação.

Contudo, verifica-se um atraso entre o aumento da velocidade e o aumento do uso que pode ir entre alguns meses e muitos anos.

O principal fator na promoção do aumento das velocidades de ligação à redes móveis é, sem dúvida, o aumento das ligações de quarta geração. O impacto que estas ligações têm na rede é muito significativo uma vez que geram uma quantidade desproporcional de tráfego de dados móveis.

Por exemplo, apesar de hoje em dia as ligações 4G representarem apenas 0.2% das ligações móveis, já são responsáveis por 6% do tráfego móvel.

Em 2016, as ligações 4G irão representar 6% das ligações e 36% do tráfego móvel.

Atualmente, uma ligação móvel 4G gera 28 mais tráfego do que uma ligação de outro tipo. E há fundamentalmente duas razões para isto:

  1. Muitas das ligações 4G são para routers residenciais ou de escritórios que, por qualquer motivo, não têm acesso a redes fixas de banda larga.
  2. Velocidades superiores irão encorajar o uso de novas aplicações pelo que se prevê que um smartphone numa rede 4G irá gerar mais 50% de tráfego do que geraria numa rede 3G.

Uma vez que os smartphones irão representar o maior share das ligações 4G, a diferença entre o tráfego médio de equipamentos 4G e não 4G irá diminuir, peso embora se preveja que em 2016 uma ligação 4G continue a gerar 9 vezes mais tráfego do que uma ligação não 4G.

Este artigo é baseado no Cisco Cisco visual networking index: Global mobile data traffic forecast update, 2011-2016 que se encontra disponível aqui.

, , , ,

Nenhum comentário (ainda!)

Deixar uma resposta

Escreva apenas comentários relacionados com este artigo.
Se desejar colocar perguntas use este formulário. Isto ajudará a manter os artigos organizados. Obrigado!