Expo Zaragoza 2008

Este ano, durante a nossa viagem para Taizé, resolvemos dar um pulo à expo Zaragoza 2008. Como estamos a pouco dias do fim da exposição, deixo aqui a minha muy humilde opinião.

O tema da exposição é “A água e o desenvolvimento sustentável”, o que, para ser franco, já me parece mais “politicamente correcto” do que outra coisa.

Onde é que eu já vi isto?

Um rio, um aquário e um tema relacionado com a água. Parece que encontrámos a fórmula necessária para podermos realizar uma exposição internacional. Já estou a imaginar o Jurí da BIE – a organização que coordena as EXPOs a dizer – “O quê, têm água?! Então vamos a isso!”.

A Expo

O recinto da Expo de Saragoça é constituído por 145 hectares e o evento decorre até 14 de Setembro (sensivelmente 3 meses de duração).

Os preços não eram nada convidativos; Um bilhete diário de adulto custava 35€ por dia e, segundo percebi, os bilhetes tinham ser comprados diariamente (ou seja, não havia, como na Expo98 as entrada para 3 dias). Os Jovens, estudantes e desempregados pagam 26,30€.

O ambiente era normal para uma exposição deste género, embora eu ache que estivesse pouca gente (pelo menos no dia em que fomos). Apesar do Português ser das línguas mais ouvidas por lá (afinal Lisboa fica a 940 Km), não se via uma única placa escrita em Português. Talvez porque nós somos muito compreensivos e até os percebemos bem, mas na já velhinha Expo98, a terceira língua oficial era precisamente o Castelhano.

Os pavilhões

Fiquei com a ideia de que alguns pavilhões não tinham sido pensados para uma exposição internacional, isto é, para poder acolher muita gente ao mesmo tempo. Por exemplo, estivemos mais de 3 horas à espera para visitar o pavilhão do KuWait que se limitava a mostrar um filme de 10 minutos sobre o País para apenas 20 pessoas de cada vez.

Relativamente ao Pavilhão de Portugal, estava muito bem localizado. Como foi o primeiro a ser visitado, ficámos um pouco desiludidos (esperamos sempre mais), mas depois de visitar os pavilhões de outros Paises, estou certo que até estávamos muito bem representados.

O que mais gostei foi um conjunto de fotos em alta resolução que ilustram algumas das mais belas paisagens do nosso lindo Portugal.

Na última sala do pavilhão, existia uma “produção multimédia” da YDreams, que não era mais do que um corredor com sensores de movimento que eram activados pelos visitantes e originavam uma interatividade gira em palavras entretanto projectadas na parede. Ainda que não funcionasse a 100%, boa idea e bem conseguido.

O que há a seguir?

Se há coisa que não pode escapar foi a questão da promoção. A china estava em peso a fazer promoção à próxima Expo!

Expo 2010 – Shangai, China – “Melhor Cidade, Melhor Vida”

Expo 2012 – Yeosu, Coreia do Sul – “Oceano vivo e a costa” (onde é que eu..)

Expo 2015 – Mião, Itália – “Alimentar o planeta, energia da vida”

, ,

Nenhum comentário (ainda!)

Deixar uma resposta

Escreva apenas comentários relacionados com este artigo.
Se desejar colocar perguntas use este formulário. Isto ajudará a manter os artigos organizados. Obrigado!