O que fazer quando não é possível classificar faturas no setor correto?

As entidades que emitem faturas (empresas, associações, etc) são obrigadas a ter as suas atividades registadas corretamente nas finanças (através dos códigos estatísticos CAEs)1.

Pode acontecer que os CAEs registados estejam incorretos, ou sejam insuficientes para reflectir mais do que uma atividade. Estes erros podem impedir deduções em IRS.

Setores com benefícios em IRS (a partir de 2015)

A partir de 2015, estas são as áreas dedutíveis no IRS:

Setores cujas faturas dão direito a deduções no IRS, desde que a faturas tenham NIF e sejam comunicadas às Finanças

Setores cujas faturas dão direito a deduções no IRS, desde que a faturas tenham NIF e sejam comunicadas às Finanças

Para efeitos de deduções no IRS, consoante a área/setor da fatura, os benefícios são diferentes. Veja quais são os benefícios no artigo que escrevi sobre a reforma do IRS.

Uma entidade, uma só atividade

Todos os meses, as entidades comunicam os valores das faturas (e não o conteúdo) que emitiram no mês anterior às finanças.

Quando uma empresa só tem uma atividade, só tem um CAE registado e por isso as finanças conseguem automaticamente classificar a fatura no respetivo setor.

Por exemplo, as faturas de uma clínica são facilmente classificadas pelas finanças no sector saúde.

Uma entidade, várias atividades

No caso de uma entidade ter várias atividades diferentes, as finanças não têm forma de “adivinhar” qual setor se trata cada fatura.

Por exemplo, uma empresa como o IKEA tem pelo menos 2 CAEs: um de restauração (porque tem um restaurante) e outro relacionado com a venda de mobiliário (que há-de ser a atividade principal).

Assim, uma fatura de refeição no IKEA seria classificada como “Restauração e Alojamento” e uma fatura de um móvel como “Despesas Gerais e Familiares”.

Por isso é necessário que os consumidores classifiquem as faturas, isto é, indiquem a que área corresponde cada fatura. Esta classificação tem e deve ser feita pelos consumidores no Portal e-Fatura.

Complementar Informação Faturas

Ao longo do ano, é necessário classificar as Informações das Faturas no Portal e-Fatura

 CAEs errados inviabilizam atribuição do benefício

Se uma entidade tem um CAE incorreto isso pode inviabilizar a atribuição correta do beneficio/dedução em IRS.

Por exemplo, se comprar óculos com receita médica, ao tentar classificar a fatura no setor/área “Saúde” pode surgir o aviso: “Valor do campo ‘Código de enquadramento aquisição actividades emitente’ inválido (emitente não tem CAE na secção/classe indicada). “.

Mensagem de erro que aparece quando se tenta classificar uma fatura num setor que não está registado pela entidade.

Mensagem de erro que aparece quando se tenta classificar uma fatura num setor que não está registado pela entidade.

Isto acontece, como já vimos, porque a entidade que emitiu a fatura não tem atividade aberta na área da saúde.

Solução

Caso não consiga associar a fatura no setor correto, o consumidor deverá contatar as finanças através do sistema e-balcão ou do Centro de Atendimento Telefónico (707 206 707) reportando esse facto para que a empresa seja contactada e possa atualizar/corrigir os seus dados de atividade e dessa forma, assegurar que a despesa constante da fatura seja considerada para efeitos de dedução do IRS.

Fonte: Ofício 20.176

Notas

  1. O CAE – Código de Atividade Económica é uma classificação estatística que indica a área de atividade de uma entidade (empresa, associação, etc). []

, , ,

85 comentários no artigo O que fazer quando não é possível classificar faturas no setor correto?

  1. Patrícia 7 Abril, 2015 at 17:15 #

    Boa tarde,

    Tenho rendimentos na categoria A de parte do ano passado e também “passei” um ato isolado em junho de 2014 (Categoria B), assim sendo terei de efetuar duas declarações de irs? Uma em abril da categoria A e outra em maio da categoria B? ou faço apenas em maio as duas?

  2. António Lopes 9 Abril, 2015 at 14:57 #

    Boa tarde,

    ao entrar no site e-Fatura para validar faturas pendentes de 2015 verifico que não existe a opção “Despesas Gerais Familiares”… Como classificar essas despesas se a opção não está disponível?…

    Obrigado.

    • Raquel Pedroso 9 Abril, 2015 at 15:09 #

      Também tive essa dúvida… e pelo que me parece, temos que escolher “outros” e dessa forma vai para “despesas gerais e familiares”…

      • António Lopes 9 Abril, 2015 at 16:28 #

        Gostaria de ter a certeza de que assim é… 🙂

      • Ricardo Moreira de Carvalho 10 Abril, 2015 at 16:06 #

        Olá Raquel,

        Obrigado pelo seu comentário e ajuda.

        Já confirmei esta questão junto da AT.

        Cumprimentos,
        Ricardo

        • António Lopes 10 Abril, 2015 at 17:33 #

          Muito obrigado pelo esclarecimento, Ricardo. Um abraço.

    • Ricardo Moreira de Carvalho 10 Abril, 2015 at 16:05 #

      Olá António,

      Obrigado pelo seu comentário.

      Confirmo que assim é:
      Como classificar faturas como despesas gerais e familiares?
      http://www.ricardomcarvalho.pt/blog/como-classificar-faturas-como-despesas-gerais-e-familiares/

      Cumprimentos,
      Ricardo

    • Diluvio 14 Fevereiro, 2016 at 12:53 #

      Tem que colocar em outro

  3. Liliana Mendes 10 Abril, 2015 at 13:39 #

    Boa Tarde.
    Alguém me sabe dizer em que área de classificação entram as faturas da renda, luz e água??
    Não consigo encontrar nada que explique que faturas entram em cada uma das categorias de classificação de faturas do “e fatura”.

  4. carla R. 27 Abril, 2015 at 22:58 #

    Boa noite, verifiquei que não tenho nas despesas gerais a Luz, (edp) será por pagar um valor fixo mensalmente?

    Obrigada

    • Ricardo Moreira de Carvalho 4 Maio, 2015 at 16:36 #

      Olá Carla,

      Obrigado pelo seu comentário.

      Não sei, é possível. Contacte a edp para verificar essa questão.

      Cumprimentos,
      Ricardo

  5. joão pina 10 Maio, 2015 at 22:42 #

    Boas.
    Dois factos sobre as quais gostaria de obter opinião.
    1- Os recibos dos passes adquiridos no multibanco com o NIF não aparecem registados no e-factura.
    2- Tentei registar um e como pretendo colocá-lo em despesas de educação (transporte da minha filha, casa-universidade) o sistema não aceita por incompatibilidade do CAE.
    Pergunto:
    1- as empresas de transporte livram-se a registar o valor sacado aos utentes desta forma?
    2- as despesas de transporte não contam para as deduções da educação? Se sim como se vai lá chegar? Se não, os contribuintes acabam de ser gravemente prejudicados por esta versão de IRS das famílias e não sabem, nem sonham!
    Agradeço a atenção.

    • Marco 13 Maio, 2015 at 15:51 #

      Na Educação, o sistema só aceita os CAE’s 85000 a 85999, ou seja crianças do pré escolar e primeiro ciclo, então onde se coloca as crianças das creches com e sem deficiencia, idosos, etc.
      Outra, os livros escolares, só é aceite o CAE 47610, já imaginaram quantas livrarias/papelarias não têm este CAE? Temos que antes de comprar, perguntar ao proprietario qual o CAE que possui.

      • Ricardo Moreira de Carvalho 1 Junho, 2015 at 14:42 #

        Olá Marco,

        Obrigado pelo seu comentário.

        Compreendo.. por essas e por outras, eu creio que ainda haverá vários “ajustes” este ano…

        Cumprimentos,
        Ricardo

      • Nuno 3 Junho, 2015 at 10:15 #

        Em relação aos livros escolares, presumo que no que toca aos Super e Hipermercados, CAE 47111, dê para por, certo??
        Pelo menos estive a ver, ainda nao la fiz compras de material escolar, mas fiz uma de saude e está la classificada como tal, apesar de ter sido comprado no Supermercado (farmacia da Auchan)

        • Ricardo Moreira de Carvalho 12 Outubro, 2015 at 17:20 #

          Olá Nuno,

          Agradeço o seu comentário e lamento a demora da resposta.

          Não sei, Depende se o hipermercado tiver esse CAE ou não, creio eu.

          Cumprimentos,
          Ricardo

      • Miguel 17 Maio, 2016 at 12:28 #

        Infelizmente, tal não parece ser verdade!
        As finanças não estão a reconhecer nenhum CAE nesse intervalo.
        Numa interpretação de nítida má fé, e de modo a garantir a receita adicional de 85 milhões de euros, não reconheceram por exemplo, e no caso dos meus filhos, o CAE 85310 – Ensinos básico (3º ciclo) e secundário geral, e comum à maior parte dos agrupamentos escolares do país. O mesmo me tem sido comunicado por outros pais chamados a justificar despesas de educação, nas quais essas mesmas se incluem.
        É para ficar siderado, mas reconhecem apenas os dois algarismos (85) numa manobra aparentemente juridico-foleira.
        Reclamem de forma graciosa(?!?) e caso a postura se mantenha, e se assim o entenderem sigam para tribunal fiscal.

  6. joão pina 22 Maio, 2015 at 22:27 #

    E eis as despesas de saúde (23%) agora aprovadas (a meio do ano) para mostrar que o próximo IRS é trabalho de aprendizes. A comunicação social mais as noticias que divulga também está a ajudar a embaralhar. Há muita pedra para partir nesta matéria. É pena que a maioria (contribuintes) esteja adormecida!

    • Ricardo Moreira de Carvalho 24 Junho, 2015 at 16:08 #

      Olá João,

      Obrigado pelo seu comentário.

      Sim, tem razão… acho que é legítimo fazer reformas, mas alterar as regras a meio do ano (quando multas pessoas já deitaram receitas fora porque já não eram válidas) é uma péssima prática.

      Cumprimentos,
      Ricardo

  7. catarina meng 16 Junho, 2015 at 16:21 #

    Boa tarde Ricardo

    Em 1º lugar os meus parabens pelo website e pelo serviço prestado à comunidade.
    Tenho uma questão que penso já ter sido abordada num topico, acerca das despesas de educação e formação no estrangeiro e a impossibilidade de registo das mesmas no efaturas pelo facto de o programa nao aceitar VAT/NIF estrangeiros. Sabe como podemos proceder nessa situação?

    Obrigada

    Catarina

    • Ricardo Moreira de Carvalho 21 Outubro, 2015 at 15:46 #

      Olá Catarina,

      Agradeço o seu comentário e lamento a demora da resposta.

      É algo que também tenho vindo a tentar perceber. A Lei é clara: conforme o n.º 8 do art.º 78-D do novo código do IRS, as despesas de educação obtidas no estrangeiro têm que ser reportadas pelo cidadão. Mas o sistema não aceita NIF não portugueses.

      Sugiro que abra uma questão expondo o caso através do serviço e-balcão e que anexe uma cópia da fatura em questão.

      Cumprimentos,
      Ricardo

    • Ricardo Moreira de Carvalho 3 Novembro, 2015 at 17:00 #

      Olá Catarina,

      Entretanto, a funcionalidade para registar faturas do estrangeiro já está disponível:

      Está aqui:

      Faturas>Consumidor>Registar Faturas” aparece a mensagem:

      “Sr. Consumidor, deve utilizar esta funcionalidade …Caso se trate de uma FATURA EMITIDA NO ESTRANGEIRO relativa a despesas de …educação… registe-se aqui”

      https://faturas.portaldasfinancas.gov.pt/registarDocumentosAdquirenteForm.action)

      Cumprimentos,
      Ricardo

  8. Luis 16 Julho, 2015 at 16:01 #

    Boa tarde

    Aproveito para expor a situação que recentemente verifiquei no e-fatura.

    As faturas de uma instituição de ensino que frequentei estão comunicadas e automaticamente associadas ao setor da Educação, mas verifico ao consultar as deduções provisórias que no item Educação não tenho deduções naquele setor. Como é possível?

    Relativamente à saúde, aparecem-me despesas à taxa reduzida de IVA; que tenho de responder se tenho receita médica ou não para as mesmas. Só deveriam aparecer para a taxa normal de IVA. Como estão pendentes, não estão a conferir dedução. Ao referir que não tenho receita médica ( nem era necessário, pois são medicamentos não sujeitos e à taxa reduzida, não à taxa normal) de modo a desbloquear o estado de pendente, elas não me estão a conferir dedução. Estou a ser prejudicado por um erro do sistema.

    • Ricardo Moreira de Carvalho 13 Novembro, 2015 at 18:28 #

      Olá Luís,

      Agradeço o seu comentário e lamento da demora da resposta.

      Efetivamente também tenho encontrado alguns erros no sistema; é algo que não deveria acontecer, mas compreendo-os, uma vez que é o primeiro ano do sistema e têm sido introduzidas várias alterações.

      Sugiro que reporte todos esses erros através do e-Balcão. Eu tenho reportado e os erros tem vindo a ser corrigidos.

      Cumprimentos,
      Ricardo

  9. Regmig 2 Agosto, 2015 at 2:40 #

    Bom dia.

    Paguei uma apólice de seguro de saúde e a factura surge no campo “Despesas Gerais Familiares” em vez de “Saúde”.

    O sistema não me permite alterar.
    Não obtenho resposta da ajuda E-Factura.
    A empresa Generali afirma que não é uma empresa de saúde mas sim de seguros…
    No Info.portaldasfinancas consta que “Podem ainda ser deduzidos a título de despesas de saúde os prémios de seguros de saúde”.
    Enfim, uma verdadeira trapalhada…
    Não sei como resolver este problema

    • Ricardo Moreira de Carvalho 12 Janeiro, 2016 at 14:46 #

      Olá Regmig,

      Agradeço o seu comentário e lamento da demora da resposta.

      Creio que os seguros de saúde não podem ser considerados despesas de saúde. Os seguros de saúde podem ser deduzidos.

      http://info.portaldasfinancas.gov.pt/pt/informacao_fiscal/codigos_tributarios/cirs_rep/irs78c.htm

      Cumprimentos,
      Ricardo

      • Armanda Grueau 24 Janeiro, 2016 at 14:14 #

        Precisamente, no link que envia diz lá que os premios de seguros exclusivamente de saude devem ser considerados como despesas de saude.

        • Ricardo Moreira de Carvalho 7 Abril, 2016 at 18:23 #

          Olá Armanda,

          Agradeço o seu comentário e lamento da demora da resposta.

          Pelo que interpreto no link que cito (mas posso estar enganado) só é possível deduzir apólices “pagas a associações mutualistas ou a instituições sem fins lucrativos”.

          Cumprimentos,
          Ricardo

          • João Teixeira 9 Setembro, 2016 at 11:09 #

            A sua interpretação do texto parece-me (sintacticamente) incorrecta, O texto completo considera dedutíveis as despesas “que correspondam a prémios de seguros ou contribuições pagas a associações mutualistas ou a instituições sem fins lucrativos”.

            Ora “pagas” é do género feminino e por isso apenas se refere às “contribuições pagas a associações mutualistas” e não aos “prémios de seguros” (prémios é do género masculino). Portanto, a interpretação correcta do texto legal é:

            São dedutíveis os prémios de seguros de saúde (quaisquer que sejam esses seguros)

            OU

            contribuições pagas a associações mutualistas ou a instituições sem fins lucrativos (disposição aplicável somente a contribuições pagas a esse tipo de associação).

            • Ricardo Moreira de Carvalho 9 Setembro, 2016 at 11:24 #

              Olá João,

              Obrigado pelo seu comentário.

              Tem razão. Obrigado pela correção. Não estava a interpretar corretamente 🙂

              Cumprimentos,
              Ricardo

  10. Pedro Soares 1 Setembro, 2015 at 16:29 #

    Boa tarde,

    Recorri em julho deste ano a uma agência de viagens espanhola para reservar alojamento no Algarve. Ora este tipo de despesa (alojamento) tem benefícios em IRS, mas no entanto não me parece que neste caso em concreto isso vá acontecer, e até porque para já não colocaram o meu NIF na fatura, mas pedirei correção caso tenha vantagens nisso.

    Se a fatura tivesse o NIF correto conseguirei ter benefício?

    Obrigado,

    Pedro Soares

  11. Eliana Malheiro 9 Setembro, 2015 at 23:33 #

    Boa noite,

    No e-faturas, qual a área de reaização de actividade dos supermercados e postos de combustível?
    Obrigada

    • Ricardo Moreira de Carvalho 1 Fevereiro, 2016 at 13:53 #

      Olá Eliana,

      Agradeço o seu comentário e lamento da demora da resposta.

      Será “outros” que contará para “despesas gerais e familiares”.

      Cumprimentos,
      Ricardo

  12. Rita Colaço 14 Setembro, 2015 at 19:46 #

    Boa noite;
    Ao validar as faturas, validei a maioria como despesas gerais, sendo muitas de outras categorias.
    como posso alterar esse erro?
    Obrigada

    • Ricardo Moreira de Carvalho 1 Fevereiro, 2016 at 16:55 #

      Olá Rita,

      Agradeço o seu comentário e lamento da demora da resposta.

      Pode pesquisar pelas faturas no portal e depois escolher a opção “Alterar” que aparece no final da página.

      Cumprimentos,
      Ricardo

  13. M. Figueiredo 4 Novembro, 2015 at 10:45 #

    Boas.
    Quando temos de classificar uma factura de um seguro auto. em que sector põe?

    • Ricardo Moreira de Carvalho 8 Fevereiro, 2016 at 15:02 #

      Olá M. Figueiredo,

      Agradeço o seu comentário e lamento da demora da resposta.

      Diria para colocar em “outros”.

      Cumprimentos,
      Ricardo

  14. Ana Dias 7 Novembro, 2015 at 12:24 #

    Boa tarde

    Tenho algumas duvidas, não sei se me pode ajudar.

    Uma das questões é a seguinte, quando numa compra de supermercado (por exemplo), pedimos fatura com numero de contribuinte, temos de guardar essas fatura obrigatoriamente?

    E temos de apresentar essas faturas, a quando da entrega do irs?

    Em relação ao facto de termos de classificar as faturas, temos de fazer isso obrigatoriamente para todas as faturas?

    Desde já agradeço.
    Obrigada

    • Ricardo Moreira de Carvalho 10 Fevereiro, 2016 at 15:38 #

      Olá Ana,

      Agradeço o seu comentário e fico feliz por ter ajudado.

      Se a fatura em questão estiver classificada no e-Fatura no setor correto, não precisa de guardar a fatura porque os valores gastos em cada setor serão preenchidos automaticamente na sua declaração.

      Caso alguma fatura não aparecer correctamente classificada no e-Fatura, deverá guardar a fatura em papel durante 4 anos e declará-la manualmente na sua declaração modelo 3 (somando-a ao valores que aparecerão pre-preenchidos).

      Cumprimentos,
      Ricardo

  15. anabela 29 Novembro, 2015 at 23:15 #

    Gostaria de saber se despesas com advogados se pode colocar no irs

    • Ricardo Moreira de Carvalho 18 Fevereiro, 2016 at 11:53 #

      Olá Anabela,

      Agradeço o seu comentário e lamento da demora da resposta.

      No geral, creio que não, embora haver alguma situação específica onde tal poderá ser possível (estou-me a lembrar por exemplo no caso de senhorios que tenham despesas com advogados em processos relacionados com os inclinos..)

      Cumprimentos,
      Ricardo

  16. Cristina Vaz 4 Dezembro, 2015 at 12:18 #

    Bom dia. Fiz uma formação em Espanha (em Agosto), pela qual paguei e a entidade formadora passou-me a respetiva fatura. Contudo, não consigo regista-la. Tem, obviamente, um NIF estrangeiro. Sabe se posso fazer o dito registo e como?
    Muito obrigada pela disponibilidade.
    Cristina Vaz

  17. Miguel 19 Dezembro, 2015 at 22:40 #

    Posso ser eu a não encontrar ou eventualmente a não dar com a “coisa”, mas alguém me pode explicar como se pode registar qualquer despesa feita com transportes?
    É que temos reparação de carro, de motociclo, daqui a nada da bicicleta (que em boa verdade já poderia estar enquadrada no motociclo visto que os CAE’s são basicamente os mesmos). Agora tudo o que seja transportes públicos… boa noite! Nada! Nem ver! E anda um gajo a pagar impostos sobre sacos plásticos para??? É isto uma política verde? Nem agora com a (desculpem mas gosto do termo) geringonça se dão ao trabalho de mudar a coisa?
    É que sem PEV e PAN não havia geringonça e sem geringonça estavam lá os outros! E ao menos aí uma pessoa já podia dizer: ” Lá estam os gajos a “esminfrar” (não sei porquê mas hoje deu-me para o calão) outra vez!!! “

    • Ricardo Moreira de Carvalho 18 Fevereiro, 2016 at 14:22 #

      Olá Miguel,

      Agradeço o seu comentário e lamento da demora da resposta.

      Compreendo a sua opinião, embora os incentivos que existam para registar despesas de reparação do carro tenha como objetivo combater a economia paralela.

      Cumprimentos,
      Ricardo

  18. Fernando 28 Dezembro, 2015 at 13:12 #

    Bom dia

    Desejava saber como classificar faturas relacionados com despesas de sindicato/ordens profissionais, algo que o ano passado, via online, se podia discriminar.
    Agradeço a resposta.

    Os melhores cumprimentos
    Fernando

  19. Luis Gatinho 10 Janeiro, 2016 at 19:16 #

    Boa tarde,

    As facturas das empresas com CAE 68322, ou seja, facturas de renda de casa, como devem ser classificadas no e-factura, no campo “Atividade de Realização da Aquisição”? Em outros ou imóveis?

    Obrigado

    • Ricardo Moreira de Carvalho 29 Março, 2016 at 15:59 #

      Olá Luís,

      Agradeço o seu comentário e lamento da demora da resposta.

      Se são faturas de rendas, creio que deverão ser classificadas em imóveis.

      Cumprimentos,
      Ricardo

  20. LarR 17 Janeiro, 2016 at 18:22 #

    Como é que é possível que o 503148776 contribuinte de ADMINISTRAÇÃO REGIONAL DE SAÚDE DE LISBOA E VALE DO TEJO, I.P. me diz que “O emitente não tem atividade registada (CAE/CIRS) pertencente ao setor indicado.” quando tento validar a fatura na área da Sáude… Por Deus, o próprio Estado não insere as suas próprias faturas e além do mais impede que as validemos devidamente! O que fazer numa situação destas? Tenho uma série de Taxas Moderadoras que não posso inserir…

    • LarR 17 Janeiro, 2016 at 18:27 #

      Encontrei a seguinte informação. O que me deixa exatamente na mesma. Estão dispensadas de emitir faturas. OK. E nós?! Não podemos deduzir o que pagámos?!

      Há entidades que apenas praticam operações isentas de IVA sem direito à dedução e que estão dispensados de emitir faturas (ex: hospitais, escolas, etc) , e também temos as prestações de serviços efetuadas pelo Estado no âmbito dos seus poderes de autoridades, como é caso dos serviços de ensino nas escolas públicas. Esses vão comunicar através de declaração de modelo oficial sendo que essa declaração terá de ser enviada à Autoridade Tributária até final do mês de janeiro (aqui será de 2016)”, explicou ao Saldo Positivo. Nesta categoria incluem-se as taxas moderadoras na saúde e as propinas nos serviços de educação.

      • Ricardo Moreira de Carvalho 30 Março, 2016 at 14:51 #

        Olá LarR,

        Agradeço o seu comentário e lamento da demora da resposta.

        O portal e-Fatura só aparenta faturas. Mas existem outras despesas que também têm deduções no IRS (como as taxas moderadoras).

        Estas despesas são comunicadas pelas entidades às finanças através de uma outra plataforma.

        Pode encontrar a “junção” de toda a informação (e-fatura + outros dados) aqui:
        https://irs.portaldasfinancas.gov.pt/consultarDespesasDeducoes.action

        Cumprimentos,
        Ricardo

  21. Teresa 19 Janeiro, 2016 at 16:11 #

    Tenho uma questão sobre as despesas nos sectores da restauração e hotelaria no estrangeiro e a impossibilidade de registo das mesmas no efaturas pelo facto de o programa nao aceitar VAT/NIF estrangeiros. Sabe como podemos proceder nessa situação?

  22. isabel 20 Janeiro, 2016 at 16:54 #

    Tenho um crédito à habitação e pago mensalidade ao Banco e juros, embora a mensalidade não entre, os juros devem entrar, no entanto a CGD todos os fins do mês metem no E-Factura, uma factura relativa a juros da mensalidade paga e do cartão de crédito na opção OUTROS (despesas familiares) no entanto os juros deviam aparecer em HABITAÇÂO, já levantei esta questão e não obtenho resposta, alguém sabe me informar sobre isto? Agradeço

    • Ricardo Moreira de Carvalho 30 Março, 2016 at 15:00 #

      Olá Isabel,

      Agradeço o seu comentário e lamento a demora da resposta.

      As faturas só podem entrar na habitação se forem exclusivamente relacioandas com isso. Se tiverem outros dados, vão para outros (despesas gerais).

      De qualquer modo, o banco deverá usar um modelo próprio para enviar os juros.

      A informação deverá aparecer-lhe aqui:
      https://irs.portaldasfinancas.gov.pt/consultarDespesasDeducoes.action

      Cumprimentos,
      Ricardo

  23. Vanda 20 Janeiro, 2016 at 20:01 #

    No modelo 3 aparece no campo de educação 1.700.3011 e o valor correto é de 1.700,30. como devo proceder a esta correção. pois a situação é urgente, está a correr um credito pessoal e o banco nao avança enquanto esta situação nao estiver resolvida. como devo proceder?
    obrigada pela sua ajuda. aguardo resposta urgente.

    • Ricardo Moreira de Carvalho 7 Abril, 2016 at 18:10 #

      Olá Vanda,

      Agradeço o seu comentário e lamento a demora da resposta.

      Não compreendo a questão, pelo que não sei como ajudar. Podia esclarecer onde lhe estão aparecer esses valores?

      Cumprimentos,
      Ricardo

  24. Pedro Morgado 21 Janeiro, 2016 at 10:48 #

    Bom dia

    Gostava de saber como classificar faturas de combustível

    Obrigado

  25. Vânia Freitas 24 Janeiro, 2016 at 18:58 #

    Olá boa noite,

    ao confirmar as minhas faturas, coloquei o pagamento das rendas no Alojamente, Restauração e Simulares e não em Imóveis que vi depois ser a habitação.
    Quando abro as faturas e clico em alterar para passar para Imóveis e depois guardo aparece-me a seguinte mensagem:
    “O emitente não tem atividade registada (CAE/CIRS) pertencente ao setor indicado.”

    Poderão-me ajudar ? Como coloco as faturas no sector certo ?

  26. M.CUNHA 26 Janeiro, 2016 at 19:37 #

    boa noite , solicito um esclarecimento se for possível, foi me emitida pela escola secundaria pública uma declaração, na qual consta as despesas realizadas pelo meu filho durante o ano escolar de 2015 , na mesma consta o NIF atribuída á dita escola no obstante aquando da inserção no sistema é me impossível preencher todos os campos obrigatórios. li algures salvo erro que seria até ao fim de Janeiro as próprias escolas a reportar as finanças o valor de gastos dos alunos, no obstante quando me desloquei á escola ninguém tinha conhecimento de tal situação.
    Se para as despesas de educação os ditos gastos com bares e cantinas escolares se enquadram para beneficio, a mesmos que contacte directamente a empresa que fornece as refeições não sei que fazer.

    Agradeço a clarificação
    obrigado

  27. Hélder 4 Fevereiro, 2016 at 15:35 #

    boa tarde onde devo declarar a prestação mensal do seguro de vida associada ao crédito habitação? e em relação ao prémio pago anualmente em relação ao mesmo seguro? em outros ou imóveis? obrigado

    • Fernanda 16 Fevereiro, 2016 at 0:08 #

      Sabe Helder? Alem do seguro de vida, há tambem o multi-riscos habitaçao. Nenhum deles foi lançado no portal pelas seguradoras, nem pelo banco que fez o emprestimo a habitaçao. Hoje fui ao banco e nao dão resposta para isto. Pois se nao emtem fatura, o sistema e-fatura nao permite gravar porque falta o n.ºde documento da despesa !!!!

      • Suzete Brito 16 Fevereiro, 2016 at 20:14 #

        Sim, mas no meu caso a fatura do seguro multirriscos foi emitida pela seguradora e aparece-me pendente para eu arrumar…. Aonde a arrumo? Nos outros, ou nos Imóveis?

    • Daniela 19 Abril, 2016 at 18:09 #

      Tenho precisamente a mesma dúvida!!!!!!!!!!!!!

  28. Ana Sardo 4 Fevereiro, 2016 at 20:17 #

    Boa noite,

    Como classificamos as faturas relativas às quotas das ordens (ordem dos médicos, arquitetos, …)?
    Obrigada

  29. Manuela fraga 7 Fevereiro, 2016 at 21:51 #

    Sou trabalhadora independente (recibos verdes) e para validar as facturas preciso responder primeiro a esta questão “Em cada uma das facturas seleccione a actividade de realização da aquisição e indique se a mesma foi efetuada fora do âmbito da sua atividade profissional.”!
    Sff podia me esclarecer melhor a questão !! Se coloco “sim” ou “não”?!

  30. Armindo Santos 8 Fevereiro, 2016 at 21:35 #

    Qual o item onde é colocada a aquisição de um viatura?

  31. Rui Campos 9 Fevereiro, 2016 at 13:54 #

    Boas!
    Ao complementar as informações das minhas facturas no portal e-facturas, enganei me (em varia facturas) ao responder Fora do Âmbito da Atividade Profissional.
    como posso alterar?

  32. Rita 10 Fevereiro, 2016 at 22:22 #

    O que fazer quando rendas de arrendamento aparecem nas Despesas Gerais e o CAE do senhorio (neste caso uma empresa no sector da panificação) não permite a classificação da despesa de forma adequada?

  33. Andreia 11 Fevereiro, 2016 at 19:20 #

    Onde se valida o seguro automóvel?

    Em “Outras” ou “Reparações de automóveis”??

    Obrigada

  34. Cristina Monteiro 12 Fevereiro, 2016 at 21:19 #

    Boa noite. Após inserir as faturas referentes a renda de habitação, julgo ter que as classificar na opção Imóveis mas recebo informação de que o Nif do meu senhorio nao esta registado para aquela actividade. Tentei contactar a linha de apoio mas esta completamente entupida. Como posso garantir o registo completo destas despesas?

  35. Cátia Silva 13 Fevereiro, 2016 at 18:56 #

    Olá…tenho faturas de obras que fiz na minha casa….mas nao consigo valida-las no imovel..
    Como devo fazer pra ser validadas e ser deduzidas no IMT?

  36. Patrícia Morais 14 Fevereiro, 2016 at 13:18 #

    Boa tarde,
    tenho no e-fatura na seccao de despesas gerais o emprestimo automovel, as despesas de manutenção da conta bancária, a primeira prestação do seguro de saude (mes de janeiro, e recebi a factura total da multicare) e nao sei que fazer com estas faturas, como as posso classificar?
    obrigado

  37. Adriana Almeida 16 Fevereiro, 2016 at 1:32 #

    Boa noite, por erro meu nas faturas que tinha pendentes coloquei algumas como não foram realizadas fora do âmbito da atividade profissional e foram, gravei e agora não me deixa alteral o que poderei fazer?

    • Suzete Brito 16 Fevereiro, 2016 at 20:17 #

      Tenho também este problema… se alguém souber agradeço uma resposta!

  38. Miguel Oliveira 16 Fevereiro, 2016 at 19:49 #

    Boa tarde, será boa ideia remover faturas declaradas pelo comerciante e que não consigo alterar para o setor correto (ex: saude) pelo simples facto do mesmo não ter o CAE associado a esse setor, e depois inseri-lá aquando do preenchimento do IRS através do portal das finanças?

  39. helder fernandes 21 Fevereiro, 2016 at 14:30 #

    Olá boa tarde,

    No e-faturas, qual a área em que devo colocar as rendas mensais da casa?
    Em outros ou Habitação?

    Obrigado!

  40. Oscar pereira 4 Maio, 2016 at 9:28 #

    Olá

    Comecei a restaurar a minha casa, dos dois empregos que tinha usei o dinheiro todo+/-12000€ para restaurar a casa pedindo sempre a respectiva factura. Para a minha admiração ao fazer o irs vou pagar +/-2000€, é normal depois de tanto investir?

  41. RF 6 Maio, 2016 at 11:58 #

    Bom dia:
    Adquiri em solteira uma casa com credito habitação própria permanente, conservo a casa até hoje e o credito mas não é a minha habitação permanente. Entretanto casei e tenho habitação própria permanente que o meu marido adquiriu depois do casamento. Até termos esta casa morei (desde que casei) em casa alugada pelo que por justiça retirava os juros da casa de solteira da declaração de irs e punhamos apenas os da renda. Ora este ano não consegui tirar os juros que o banco envia para as finanças uma vez que estes entraram automaticamente no e-fatura. As finanças pediram-me a declaração do banco dos juros e eu enviei mas na realidade eu não moro nessa casa e por isso não queria comunicar os juros. Havia hipótese de ter tirado os juros da declaração?