O Regresso do XOOPS

Logo Xoops

O XOOPS é um Sistema de Gestão de Conteúdos (CMS) criado em 2001, escrito em PHP e totalmente opensource. Foi o primeiro CMS que usei (já lá vão 5 anos), mas ao sofrer algumas baixas na equipa de desenvolvimento, o projecto tinha ficado praticamente estagnado. No início do ano passado, formou-se uma nova equipa (liderado por Taiwen Jiang) cujo grande desafio foi “limpar” a casa e dar um novo impulso ao projecto.

Das cinzas renascer…

Assim, no passado dia 11, foi lançando uma nova versão (2.3) que pretende resolver um conjunto de problemas que existiam (por exemplo, incompatibilidade entre módulos) e abrir o caminho para uma nova versão 3.0. Ontem actualizei o único sítio que ainda tenho a correr Xoops e tudo correu bem!

Apesar de gostar do XOOPS (que é muito simples de usar), a falta de suporte e alternativas obrigou-me, nos últimos tempos, a optar por outros CMS (Joomla por exemplo). Contudo, esta solução nunca me agradou porque, apesar de tudo, o Joomla tem uma curva de aprendizagem maior para os utilizadores comuns (e desta forma, para os clientes) e não tem uma arquitectura fácil de perceber pelos programadores.

Vantagens do XOOPS

Para mim, a grande vantagem do Xoops é o excelente controlo de acessos. Nunca encontrei outro CMS com um controlo tão simples, eficaz e flexível. É possível definir praticamente tudo o que cada utilizador ou grupos de utilizadores podem aceder.

Por outro lado, possui uma  arquitectura completamente modelar que facilita o desenvolvimento, embora introduza alguma redundância de código (é a vida).

Vamos ver a aceitação desta nova versão e como corre a requalificação dos módulos que são mantidos há anos.

,

1 comentário em O Regresso do XOOPS

  1. Francisco Costa 27 Agosto, 2009 at 11:03 #

    ya.. ao tempo que isso já vai..
    até acho que o Xoops era um fork do phpnuke

Deixe uma resposta

Escreva apenas comentários relacionados com este artigo.
Isto ajudará a manter os artigos organizados. Obrigado!

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.